10-luiz

Luiz Pacheco

Apresentação a 17 de setembro 

Luiz Pacheco nasce em 1925 na cidade de Lisboa. Começa a publicar em 1945 em diversos jornais e revistas, nomeadamente no Diário Ilustrado, na Seara Nova e no Diário Popular. Inicia a sua atividade de editor em 1950 com a editorial Contraponto, onde publica alguns dos textos individuais e coletivos de importantes escritores surrialistas e neo-realistas portugueses entre os quais Mário Cesariny, Manuel de Lima, Natália Correia, Carlos Wallenstein, Herberto Helder e Vergílio Ferreira. Edita a primeira tradução portuguesa de Sade, publica e traduz outros escritores estrangeiros. É um autor difícil de classificar, de grande ousadia literária, com diversos textos de caráter marcadamente autobiográfico e polémicos. Morre em 2008, no Montijo, com 82 anos.

A obra escolhida para este protejo, intitulada O libertino passeia por Braga, a idolátrica, o seu explendor, é parte da colecção Braga. Cidade Bimilenar e foi retirada da obra Textos Malditos (1977).

Algumas obras:

Carta-Sincera a José Gomes Ferreira (1958); O Teodolito (1963); Comunidade (1964); Textos Locais (1967); Exercícios de estilo (1971); Literatura comestível (1972); Pacheco versus Cesariny (1974); Textos de circunstância (1977); Textos malditos (1977); Textos de guerrilha 1 (1979); O caso das criancinhas desaparecidas (1986); Memorando, mirabolando (1995).

 

partilha


Mecenas
Apoios


todos os direitos reservados Fundação Bracara Augusta 2015